Três mulheres de mão-cheia

Ana de Castro Osório, Antónia Ferreira e Marquesa de Alorna - três mulheres que se destacaram nos seus domínios, cada qual contribuindo, à sua medida, para a promoção da condição feminina. 

A primeira, considerada a mãe da literatura infantil em Portugal, foi pioneira na luta pelos direitos das mulheres (é da sua autoria o primeiro manifesto feminista português); a segunda, conhecida como Ferreirinha, uma corajosa e visionária empresária que ficou para a História por ter conseguido expandir as fronteiras do Douro vinhateiro, num tempo em que o negócio era território praticamente exclusivo dos homens; e a terceira, conhecida como Alcipe, foi uma poetisa e influente patrona das artes, apesar das tragédias da sua infância e juventude (viveu 18 anos num convento).

No Dia Internacional da Mulher, vale a pena espreitar a biografia de cada uma, da colecção Grandes Vidas Portuguesas, uma co-edição Pato Lógico/Imprensa Nacional.