"A Guerra" vence prémio Junceda Internacional

Há guerras que duram 100 anos. A nossa levou 4, desde a ideia até à livraria. Há soldados que recebem medalhas, homenagens e memoriais. A nossa não pára de ganhar prémios pelo mundo fora. Mas enquanto as primeiras erradicam pensamentos, a nossa guerra planta ideias. 

“A Guerra”, de José Jorge Letria e André Letria, é um livro de travo amargo, difícil de engolir. O ambiente é carregado de angústia, a história que conta é crua e honesta. Não é um livro fácil nem óbvio. É um livro necessário. E talvez seja por isso que tem conquistado de forma inegável a crítica.

Às 8 distinções já conquistadas*, desde a sua publicação em Março de 2018, junta-se agora o prémio Junceda, na categoria internacional, atribuído pela Associação Profissional de Ilustradores da Catalunha, desde 2003. O jurí atribuiu o prémio a André Letria, pela emoção que desperta e pelo estilo forte e ao mesmo tempo poético.

A Ilustradora Martina Manya foi receber o prémio pelo autor.

* Distinções: Feira do Livro de Bolonha 2019 (Exposição dos Ilustradores), Little Hakka 2018 (Melhor dos Melhores), Nami Concours 2019 (Grande Prémio), Prémio Talking Pictures da Feira de Direitos de Nova Iorque 2019, Revista Communication Arts 2019 (Prémio de Excelência), Sharjah Exhibition 2018, The White Ravens 2018, PNL2027.