Dança é Prémio Nacional de Ilustração 2015

João Fazenda venceu o Prémio Nacional de Ilustração de 2015 com o livro Dança, da colecção Imagens que contam, publicado pelo Pato Lógico. O júri, composto por Susana Lopes Silva, professora da Escola Superior de Educação do Porto, Manuel San-Payo, professor da Faculdade de Belas Artes de Lisboa, e Ana Castro, técnica superior da Direcção-Geral do Livro, dos Arquivos e das Bibliotecas (GGLAB), atribuiu por unanimidade o prémio ao ilustrador, destacando os seus «aspectos conceptuais, as qualidades gráficas, o recurso aos elementos básicos da comunicação visual na composição» e «uma narrativa original em que o uso expressivo da cor ganha uma dimensão polissémica»: «O movimento das figuras coloca o leitor entre a tensão e descontração dos dois universos apresentados, o dele e o dela.»
Bernardo P. Carvalho recebeu uma menção especial com Verdade?!, título da mesma colecção, tendo o júri salientado «a dinâmica expressiva do registo conseguida apenas com três cores, tirando partido da transparência que oscila entre a horizontalidade gráfica das águas calmas e a forma gráfica da tempestade». E António Jorge Gonçalves também viu o seu livro Eu quero a minha cabeça destacado pelo júri do evento.
No ano passado, Capital, de Afonso Cruz, também venceu o Prémio Nacional de Ilustração. Esta colecção conta ainda com títulos premiados pela Ilustraste (Sombras, de Marta Monteiro), White Ravens (Vazio, de Catarina Sobral), Creative Quarterly (Bestial, de André da Loba), revista 3x3 (SombrasBestialVazio Balbúrdia, de Teresa Cortez) e Communication Arts (Sombras Bestial). 

Imagens que contam surgiu em 2013 como um espaço de liberdade criativa para ilustradores que procuram contar histórias através da sua arte - a ilustração. As regras são simples: o logotipo do Pato Lógico deve ser recriado numa narrativa sem texto, ao longo 32 páginas e guardas, e o título é uma palavra apenas.