Como é o Natal dos madrilenos?

O desfile dos Reis Magos pela cidade é o ponto alto desta quadra e faz as delícias dos mais pequenos. O leitão, o presunto ibérico e biscoitos com brindes lá dentro forram a ementa. Mas também há surpresas para quem se portou mal durante o ano... 

- O que comem os madrilenos na consoada e no Dia de Natal?

Em minha casa, na consoada comemos leitão e, no dia de Natal, peru. Além disso, também há um bom presunto ibérico, uns camarões e um bom vinho. Nos Reis Magos (dias 5 e 6 de Janeiro), comemos Roscón de Reis, um biscoito que tem lá dentro uma prenda escondida. Quem o corta e partilha costuma fazer batota para ficar com o brinde quando nota algo duro ao passar a faca.

- E como se festeja, dentro e fora de casa?

A Plaza Mayor, no centro de Madrid, enche-se de tendas com estatuetas, casinhas e maquetas para montar o presépio em casa, que representa o nascimento do menino Jesus e a adoração dos Reis do Oriente. Também é muito famoso o passeio dos Reis Magos, na tarde do dia 5 de Janeiro: Melchior, Gaspar e Baltasar desfilam em carroças pelo centro da cidade. É um dia muito especial para todas as crianças, pois é a véspera da visita que os Reis farão, à noite, a suas casas para lhes entregar presentes. Isto se se portaram bem durante o ano, porque, caso contrário, em vez de presentes, recebem Carvão [doce típico feito de açúcar negro, semelhante, na forma e na cor, ao carvão].

- Recorda-nos um Natal da tua infância ou juventude.

Costumava ir com a minha irmã e os meus pais ao bosque perto de casa à procura de musgo e pedrinhas para decorar o presépio, ou apanhar pinhas para a lareira. Na noite dos Reis Magos, os amigos dos meus pais mascaravam-se de Reis e apareciam em casa com presentes para todos. Nunca esqueceremos o barulho que faziam, batendo nos copos com muita força, o que nos deixava, a mim e à minha irmã, paralisados. Não demorámos muito a descobrir que era a minha avó quem o fazia, mas isso continua a emocionar-nos. A minha mãe esmerava-se a criar um clima de mistério, chegava até a fazer pegadas de camelo (o transporte dos Reis) com barro.

- Se tivesses de fazer um postal de Natal baseado na tua cidade, o que desenharias? 

A minha mãe tem pendurado em casa um postal de Natal que eu fiz no colégio quando era pequeno. Como era professora de arte e uma entusiasta do pintor Velázquez, fiz-lhe uma versão do quadro d’ As Meninas, em que aparecia o Pai Natal (o Papá Noel, como lhe chamamos aqui) distribuindo presentes a toda a corte de Filipe IV. Creio que Velázquez pintava um Mondrian e, em vez do cão, havia um cavalo do [quadro] Guernica, de Picasso.