André Letria na Feira Internacional do Livro Infantil e Juvenil do México

O que é o Pato Lógico? Como trabalha um ilustrador? E como nasce um livro? André Letria está no México e falou sobre tudo isto durante a sua participação na Feira Internacional do Livro Infantil e Juvenil (FILIJ), que decorreu entre os dias 10 e 20 deste mês, no Parque Bicentenário, situado na capital do país. Os mais pequenos ainda tiveram direito a uma oficina onde reiventaram os Estrambólicos e, no fim, muitos mexicanos levaram autógrafos para casa.  

Com um programa recheado de livros e um sem-número de actividades de promoção da leitura - desde conversas com escritores e exposições a espectáculos de teatro, música e circo -, a FILIJ voltou a afirmar-se, ao fim de 37 anos, como um importante pólo de atracção cultural num país onde subsistem muitas desigualdades. Estima-se que, em dez dias, mais de 400 mil mexicanos visitaram a feira, numa altura em que ainda prevalece um clima de medo e tensão por causa do mortífero terramoto de Setembro. 

No primeiro dos quatro dias da sua participação, sexta-feira, André Letria dinamizou uma sessão para editores, na Biblioteca Vasconcelos (provavelmente a maior do México e da América Latina), onde apresentou o projecto editorial do Pato Lógico - senão todos, muitos dos seus pares mexicanos já conheciam a editora portuguesa.

Sábado foi dedicado aos mais novos: no Parque Bicentenário, um recinto com 55 hectares, o ilustrador encontrou-se com cerca de 30 crianças mexicanas, com idades entre os 8 e 10 anos, que revelaram grande entusiasmo e imaginação de sobra (fizeram muito com muito pouco) numa oficina de construção plástica onde desenharam e criaram novos Estrambólicos, inspirados nas criaturas do livro de José Jorge e André Letria.

No domingo, nova sessão profissional, desta vez para ilustradores: o artista regressou àquela biblioteca para falar do seu ofício e deu como exemplo as ilustrações do Se eu fosse um livro e de outro livro prestes a ser dado à estampa.

Por último, anteontem, André voltou ao epicentro da feira, onde discursou numa conferência aberta ao público. E, no fim, muitos mexicanos levaram para casa, autografadas, as edições espanholas de Mar e Teatro, da editora Ekaré. 

André Letria foi o único editor e autor português da lista de convidados (oriundos de Espanha, Venezuela, Argentina e Itália) que participaram na 37.ª edição da FILIJ, cujo país convidado de honra foi Espanha.