António Variações. Fora de Tom

Texto: Inês Fonseca Santos

Ilustrações: Mantraste

Ano de publicação: 2021

Dimensões: 14.5 x 24 cm

ISBN: 978-972-27290-4-8

Páginas: 48

Preço: 11,00 €

Comprar

Diziam que cantava fora de tom. Diziam que se vestia fora de tom. Diziam que se comportava fora de tom. Mas ele estava apenas a ser fiel à sua natureza. Ele foi António Variações – e continua a ser, enquanto soubermos de cor as suas canções. São canções que inquietam porque falam sobre a vida, que Variações tanto amava. E na vida há certamente o amor, mas há também o desamor, a esperança e a descrença, a família e os amigos, os lugares perdidos e os achados, a felicidade e a dor, as conquistas e as derrotas, as lutas, as contradições, as traições, a coragem, o prazer, as grandes e as pequenas coisas... Combinar tudo isto na letra de uma canção é tarefa para almas sensíveis e talentosas. António Variações foi uma dessas almas. Chegou a este mundo  com a força de quem o consegue mudar e escolheu a música como arma. Nos anos 70 e 80 do século XX, a sua “necessidade de liberdade e de ser diferente dos outros” transformou-o num revolucionário involuntário. Só por existir, contribuiu para mudar mentalidades e transformar Portugal num lugar mais humano, mais amplo, mais colorido, mais musical.

Inês Fonseca Santos e Mantraste contam, com palavras e imagens, a história de um homem que foi muitos, acima de tudo um músico por paixão e intuição, um escritor e cantor de canções que sobreviveram ao tempo e se tornaram hinos de liberdade.

António Variações. Fora de Tom pertence à colecção Grandes Vidas Portuguesas. É o segundo título desta série de biografias escrito por Inês Fonseca Santos, depois de José Saramago. Homem-Rio.

António Variações. Fora de tom, por Inês Fonseca Santos e Mantraste

«Escrever sobre alguém que se admira e se ama desde a infância pode parecer tarefa impossível. E, de certo modo, é. Mas a escrita, como a música, faz-se de impossíveis, da insistência nessa impossibilidade. Aprendi-o com várias pessoas – uma delas foi António Variações. Nos idos anos 80, a minha avó materna, também ela pessoa fora de tom, tinha os discos do Variações. Punha-os a tocar no gira-discos e dançávamos as duas, felizes. Terei descoberto aí, numa pequena sala de móveis austeros e flores à espreita, a beleza do ritmo, da cor, da liberdade. Terei descoberto aí o que é crescer com Variações na voz. Não sei definir com exactidão o que foi escrever este livro; talvez possa afirmar que foi como aceder a um lugar de encontro com momentos que me emocionam. Foi sem dúvida um desafio feliz porque implicou aliar factos e poesia, realidade e imaginação. Implicou ainda regressar a um país cinzento que conheci mal por ser filha da democracia e compreender que o território da liberdade que Variações ampliou tem ainda quilómetros por conquistar. Também por isso continua a ser importante conhecer esta vida e esta voz, revivê-las, nunca esquecê-las.» (Inês Fonseca Santos)

«Para ilustrar o António Variações é preciso primeiro dançá-lo até sermos o próprio e depois deixá-lo desenhar aquilo que também nós somos, tanto no bem como no mal: Portugueses.» (Mantraste)

Grandes Vidas Portuguesas

A colecção Grandes Vidas Portuguesas nasceu em 2014 de uma parceria entre o Pato Lógico e Imprensa Nacional-Casa da Moeda e é dedicada às vidas de personalidades que se destacaram em vários domínios da História de Portugal.